Promessas de dança para 2017

postado em: Dança do Ventre | 0

 

Feliz 2017, dancers! O ano acabou de começar, ainda estamos iniciando a segunda semana de janeiro, mas muitas escolas já estão voltando com aulas ou cursos de férias. Nesse momento nós estamos com todo o gás, cheias de planos e promessas para um ano incrível! Então, dez meses depois, nós encontramos aquela lista de resoluções de dança para o novo ano e descobrimos que fizemos bem menos do que esperávamos… Quem nunca? Para não deixar isso acontecer, vou tentar algumas estratégias novas e compartilhar tudo com vocês.

 

promessas-de-danca-para-2017

 

  • Alongar mais: alongamento deveria ser rotina diária de toda bailarina. Melhora a mobilidade, deixa o corpo mais flexível e garante mais elegância e naturalidade na hora de executar diversos movimentos. Eu, que nunca fui uma pessoa flexível, me comprometo publicamente a alongar todo dia! #tenso

 

  • Ouvir mais música árabe: depois que passou a fase de estudos para a Khan El Khalili, confesso que dei uma relaxada da rotina de sempre ouvir músicas árabes… Eu precisava de uma fase “detox”, ouvir outras coisas, reciclar o ouvido e relaxar mais. Agora essa fase já passou e aos poucos estou voltando a ouvir um pouquinho todo dia!

 

  • Ver vídeos de dança diferentes: ver vídeo da Elis Pinheiro (uma das bailarinas do meu coração) é ótimo e eu não vivo sem, mas também é legal se surpreender com o diferente. E não só videos de dança do ventre, mas de danças de salão, de jazz, de clássico, de contemporâneo… Vale o que te fizer vibrar!

 

  • Se observar: ao invés de sempre buscar referências fora, quero passar esse ano buscando referências dentro. Como assim, Brasil? Estudando os meus pontos fortes e fracos, o que eu faço de diferente, o que eu gosto de mim e o que eu não gosto também… Tudo por uma dança cada vez mais minha.

 

  • Se entregar: quero uma dança com pele, com sentimento, com verdade e essência. Entretanto, nada disso vai acontecer sem entrega, e eu confesso que ainda estou descobrindo o que é essa tal… A preocupação com a técnica é tanta, que esquecemos de deixar a emoção fluir. Em algumas danças de 2016 me senti exatamente assim, e em 2017 pretendo abrir mais o coração na hora de pisar no palco.

 

E vocês, o que estão planejando para esse ano? Contem pra mim e vamos todos dançar muito para fazer com que 2017 seja um ano lindo e dançante!

Deixe uma resposta